Caso Zé Maria

Mais uma vez sessão é encerrada devido à discussão

A sétima sessão de julgamento do general Zé Maria, foi encerrada antes da hora prevista, devido à discussão em julgamento entre juiz e advogado, situação que levou o presidente do Supremo Militar, general António dos Santos Neto, encerrar a sessão de hoje, garantindo que amanhã o tribunal irá prosseguir com as alegações.

Ao questionar “Se os documentos pertencem às FAA, e se o tem a noção de que João Lourenço é o comandante em chefe das FAA”, o juiz Carlos Vicente procurou saber quais as razões que levaram para que o Camarada Hegino Carneiro solicitar ao Ex- presidente e não ao Presidente João Lourenço, tem a noção de que João Lourenço é o comandante em chefe das FAA? Reiterou.  

O juiz Carlos Vicente avigorou ainda: “As FAA não são o MPLA, as forças Armadas Angolanas não têm nada a ver com partido, quem deve dar ordens nas FAA não é o presidente de nenhum partido”.

Em resposta o Deputado, Higino Carneiro afirmou que quando pediu autorização a José Eduardo dos Santos, para que o ex-chefe da casa militar fizesse uma apresentação aos deputados do MPLA sobre a histórica batalha do Cuíto Cuanavale e, o Ex-Presidente “José Eduardo dos Santos respondeu que sim, mas proibiu que se reproduzissem os documentos sem o seu consentimento”, Referiu  Higino Carneiro sem responder se os documentos pertencem às Forças Armadas Angolanas ou ao Partdo no Poder, “na data dos factos, quando solicitei ao ex-Presidente José Eduardo dos Santos para que o general Zé Maria ilustrasse aos deputados da bancada parlamentar do MPLA factos sobre a batalha do Cuíto Cuanavale, eu era vice-presidente da Assembleia Nacional e José Eduardo dos Santos era presidente do partido, por isso, não falei nada com João Lourenço, embora ele já fosse Presidente da República”. Assumiu.

Já o advogado de defesa do general Zé Maria contestou pelo facto de o magistrado proferir estas palavras à testemunha, mas o resultado foi à recusa do juiz presidente do STM em aceitar o seu protesto, dizendo ao advogado que em outras sessões de julgamento possuirá tempo para protestar.

A sessão de julgamento do general do ex numero um da casa militar retoma nesta quarta-feira.

Fonte: NJ

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria