Comichão Facínora

 

VISÃO JORNALÍSTICA

Na semana em curso, a virtude do diálogo poupou Luanda de uma greve de taxistas, que perturba sempre a vida de muita gente humilde e da sociedade em geral. A ANATA (Associação Nova Aliança de Taxistas) anulou a sua projetada paralisação, fruto de negociações encetadas com o poder, antes de segunda-feira passada. No exercício, o poder foi representado por um assessor do Presidente da República, ladeado de quadros do Ministério do Interior e da Polícia Nacional.

O feliz desfecho foi publicado no termo das conversações, que tiveram lugar na sexta-feira. A Rádio Ecclesia só pode divulgar na manhã seguinte, retomando dos pares, com destaque para “A Voz da América”, via de regra, uma credível fonte equidistante.

Segundo o presidente da ANATA, Geraldo Wanga, o Estado prometeu assinalar mil paragens em Luanda, a partir de segunda-feira. Também, se mostrou disposto em estancar os abusos dos agentes de trânsito na via, tendo Wanga acentuado a atenção contínua sobre esses pontos. A greve fora marcada, em princípio, para os dias 20, 21 e 22, pelo facto dessas duas reivindicações não serem escutadas por quem de direito.

A Rádio Ecclesia pôs-se logo ao encalço do assunto, pelo seu vulto social e a novidade do ressurgimento de um movimento adormecido desde finais de 2015. Atentou, assim, no esforço do poder público em debelar este surto de febre, adicional à crise galopante em que mergulhámos. Perdeu um tanto o fio à meada, na quinta-feira, quando lhe foi vedado o acesso ao Governo Provincial de Luanda, palco da primeira ronda negocial.

  • Vedado por que motivo?
  • Segredo dos deuses, por enquanto.

Dias antes, insolitamente, sofreu análogo abuso, não tendo sido acreditado os seus repórteres à sessão do Comité Central do MPLA que oficializou os cabeças de lista nas próximas eleições.

O protesto formal contra ambas arbitrariedades segue as suas tramitações administrativas, visando a sua correcção. São falhas que uma caduca mentalidade delinquente, tenta eternizar, em cíclicos surtos da comichão facínora. Tenta perpetuar, sim, à revelia da legislação, da sensatez política e da imagem do país pelo mundo fora. Outro assim caduca, nestes tempos em que as novas tecnologias ridicularizam tão grosseiras formas de censura e discriminação! O valor do Estado de Direito, ao ritmo da sua efetivação, é neutralizar todas essas prepotências, senão mesmo reduzi-las em vis porções.

Firme na sua linha editorial, inspirada na Doutrina Social da Igreja Católica, a Rádio de Confiança mantém o seu rumo. Mantém o rumo, que lhe dita inclusive, pela graça do Espírito Santo, o virtual quadro eleitoral emergente. Por ventura, na fresca actualidade, esta postura foi revigorada até pelo último Ângelus do Papa Francisco aos peregrinos. Mormente, ao ter salientado que os crentes devem “responder com o bem” e com estratégias “inspiradas pelo amor”. Pois, a proposta de Jesus Cristo representa “uma realização superior da justiça”, com uma “nítida distinção” entre justiça e “vingança”.

(Uma coprodução de Siona Casimiro e P. Maurício Camuto. Apresentação de Tomás de Melo.)

 

 

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria