Papa acusa os “poderosos” que matam crianças em nome de interesses particulares

Papa Francisco

A missa celebrada nesta segunda-feira na Capela Santa Marta no Vaticano, o papa recordou o grito das crianças.

O Santo Padre “poderosos” da terra que bombardeiam e matam crianças em nome de interesses particulares.

“Muitos poderosos da terra dizem, interessa-me este território, se uma bomba cai e mata 200 crianças, bem, não é culpa minha, é culpa da bomba’”, lamentou, na homilia da Missa a que presidiu na capela da Casa Santa Marta.

Francisco sustentou que a violência começa com o “sentimento” de estar afastado do outro, levando à “guerra que mata”.

“Este é o processo do sangue e hoje o sangue de tantas pessoas no mundo clama a Deus, desde a terra”, acrescentou.

O Papa ofereceu a celebração pelo padre Adolfo Nicolás, prepósito-geral da Companhia de Jesus de 2008 a 2016, que esta quarta-feira regressa ao Oriente.

“Que o Senhor retribua todo o bem feito e o acompanhe na nova missão. Obrigado, padre Nicolás”, disse.

Na Missa concelebraram com o Papa alguns novos párocos, a quem o pontífice pediu que pensem em “todos os que no mundo são tratados como coisas e não como irmãos, porque é mais importante um pedaço de terra do que o elo da fraternidade”.

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria