Futuris: O laser que rouba electricidade aos relâmpagos

O relâmpago é um dos fenómenos naturais mais perigosos e imprevisíveis. Os sistemas de protecção actuais ainda são semelhantes ao para-raios inventado por Benjamin Franklin, há quase 300 anos.

Mas um grupo de cientistas está a desenvolver uma tecnologia baseada em laser que pode neutralizar esta ameaça.

Um laser que “colhe” electricidade

Santis é a montanha mais alta de Alpstein, fica no nordeste da Suíça e é um local muito especial para cientistas que estudam relâmpagos, por causa das condições climáticas extremas.

Santis é também onde fica a sede de um observatório e de uma rede de sensores que registam constantemente dados sobre este poderoso fenómeno natural, que pode ser uma grande preocupação para a sociedade.

Além dos apagões, dos danos electrónicos e dos incêndios florestais que custam milhões de euros, os relâmpagos tiram a vida, por ano, de 6.000 a 24.000 pessoas em todo o mundo.

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria