Seg. Set 23rd, 2019

Novo currículo prevê redução de disciplinas no sistema de ensino

O novo plano curricular, baseado no Inquérito Nacional de Adequação Curricular (Inacua) previsto para 2022, vai reduzir disciplinas nos planos de estudo e terá um atendimento diferenciado ao ritmos de aprendizado dos alunos afirmou hoje (quinta-feira), em Luanda, a ministra da Educação, Cândida Teixeira.

Entre 2004 e 2011, o Ministério da Educação introduziu, faseadamente, novos materiais curriculares elaborados no âmbito da reforma educativa: Desde Fevereiro de 2018 está empenhado em acções da revisão curricular, resumidas em programas de actualização e adequação curricular.

Neste sentido, a ministra, que falava na abertura da apresentação do resultados da Iª fase do Inacua, revelou que o se está em busca de procedimentos com base nas necessidades da sociedade e interesse do Estado, para alcançar a qualidade para todos com a integração curricular, transversalidade, interdisciplinaridade, multidisciplinaridade e intradisciplinaridade.

Esta realidade demanda o reforço da capacidade dos professores, dos gestores escolares e inspectores diante da realidade, o que garantiu já estar acautelado.

“Neste contexto de mudança de paradigma no sistema, justifica-se assim o aprimoramento de práticas quer no desenho, no desenvolvimento e avaliação curricular, como nos procedimentos e mecanismos, procurando caminhos legais, sustentáveis e vias modernas sobre a educação escolar para assegurar o desenvolvimento da chave da vida (abordagem de atitudes, valores e ética no plano curricular)”, referiu.

A ministra fez saber que os resultados do Inacua apontam para mudanças em práticas centradas na aprendizagem.

Considerou a adequação curricular como uma das saídas para que os alunos tenham bases sólidas sobre saberes científicos aliado a realidade do seu meio, e estejam capazes de subsidiar o desenvolvimento do sistema integrado de habilidades dos profissionais, valores e princípios étnicos para um bem estar social da vida individual e colectiva.

Neste sentido é preocupação do Estado Angolano, formar os jovens para o mercado de trabalho, fazendo esforços para que sejam harmonizados e articulados fundamentalmente três dimensões de formação: a científica, a técnica-profissional e a tecnológica, dando assim a possibilidade aos que não tenham acesso a universidade estarem habilitados para o mercado de trabalho.

Reconheceu que a educação é um fenómeno social feito na sociedade, com a sociedade e para a sociedade, pelo que o Ministério da Educação considera o Inacua como uma das formas de envolver a sociedade no processo de estruturação de um novo paradigma de educação, no quadro das políticas públicas voltadas para a educação.

Em Novembro de 2018 realizou-se uma consulta pública para colher opiniões para estruturar referências curriculares sobre as condições para a melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem.

O programa de revisão curricular vai decorrer até 2025.

O encontro serviu para os técnicos do ministério e representantes da sociedade discutirem e analisarem novos planos de estudo para melhorar a qualidade, de modo a estarem actuais, contextualizados e adequados.

Fonte: Angop