Quantos, Somos Quem Somos e Como Vivemos

Qauntos Somos, Quem Somos, Onde Vivemos e Como Vivemos

Quantos somos, quem somos, onde vivemos e como vivemos? Eis as perguntas cujas respostas os angolanos saberão em 2014.

O país vai realizar o primeiro censo geral da população, depois da independência em 1975.

A última operação de levantamento estatístico da população de Angola realizou-se há 40 anos.

Um teste piloto arranca a 16 de Maio próximo em algumas províncias.

Segundo o Gabinete Central do Censo, GCC, a experiência vai ter lugar em sete províncias: Luanda, Cunene, Huambo, Kuando Kubango, Kwanza Norte, Uíje e Namibe.

INE será o maior empregador

Com um custo estimado em um milhão de dólares, a prioridade deste Censo Piloto vai para a constatação do que foi preparado até agora pelas equipas multidisciplinares do GCC.

De acordo com o director do INE, Camilo Ceitas, o instituto tem vindo a receber do Estado meios financeiros tidos como suficientes para fazer face a este «investimento muito grande e indispensável a qualquer nação».

Fez questão de reforçar a ideia de que se «trata de um investimento e não de uma despesa»«, porque vai fornecer informação a todos os níveis, que vai ser disponibilizada a toda a sociedade, desde o sector público ao privado.

O Orçamento do INE foi reforçado em 2012, atingindo os 47 milhões de dólares, e em 2013 é de cerca de 50 milhões. No próximo ano, «deverá rondar os 70 milhões de dólares».

O INE deverá, em 2014, empregar temporariamente mais de 65 mil pessoas. «Vai ser o maior empregador do país e, também por isso, terá um dos maiores orçamentos», comentou Paulo Fonseca, o coordenador do gabinete técnico do Censo.

 

Linha telefónica

O ponto da situação do país vai assim ter, a 16 de Maio, um ensaio muito sério. Para tal, o GCC tem já em divulgação uma campanha nacional de publicidade que orçou em mais de 800 mil dólares. O GCC disponibiliza também, a partir da próxima semana, uma linha telefónica de esclarecimento sobre as questões inerentes ao Recenseamento Geral da População e Habitação.

Camilo Ceita, que coordenará o Censo 2014 esclareceu que «a linha telefónica estará disponível diariamente, e em quatro línguas: Português, Umbundo, Kimbundo e Kicongo. O público poderá satisfazer algumas inquietações sobre este processo».

De referir que o Censo 2014 compreende a realização de dois recenseamentos em simultâneo: um sobre a população («Quantos somos, Quem somos») e o outro sobre habitação («Onde vivemos, Como vivemos»). Isto permitirá a obtenção de informação estatística actualizada, necessária ao acompanhamento e avaliação dos programas do Governo, bem como à produção de indicadores que permitam avaliar os progressos realizados no âmbito dos objectivos de desenvolvimento do Milénio.

Os primeiros resultados, provisórios, do Censo 2014 deverão ser conhecidos três meses depois do final do processo.

 

Fonte/Sol/O APOSTOLADO

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria