Repovoamento da Palanca pode estar comprometido

Palanca Negra Gigante Ameaçada

Repovoamento da Palanca Negra Gigante Ameaçada

A caça furtiva e a exploração de inertes no Parque Nacional de Cangandala, na província de Malange, estão a comprometer os esforços de repovoamento da Palanca Negra Gigante, disse em Luanda a consultora ambiental Sendi Baptista.

Colaboradora da Fundação Kissama, a especialista referiu que os últimos dados da organização indicam que existem no Parque Nacional menos de 100 animais devido à instalação de armadilhas e queimadas, o que coloca a espécie em vias de extinção por ser endémica.

A ambientalista frisou que há necessidade de consciencializar a população para acabar com a caça e a exploração de inertes na reserva, para impedir a fuga e o abate de mais animais. “A protecção efectiva da Palanca deve contribuir a médio prazo para a melhoria das condições de vida das comunidades e o desenvolvimento da região”, frisou.

O Projecto de Conservação da Palanca criou, em 2004, uma equipa de pastores com membros das comunidades, dando início ao processo de localização e preservação do animal. Segundo dados da Fundação Kissama, até aos anos 70 estimava-se uma população de 2.500 palancas, sublinhando que hoje estão reduzidas a menos de cem.

Espécie rara, a Palanca Negra Gigante tem o seu habitat natural no Parque Nacional de Cangandala e na Reserva Natural do Luando, na província de Malange.

Fonte: JA

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria