Dor e graça alternam na vida, amiúde e de chofre. O co-autor da presente crónica navega neste temporal. Sábado passado, perdeu, no veterano jornalista da ANGOP, Pedro Fidel Dielunkunsia, um confrade de estimação. Partilharam a carteira do exílio, retratada no seu livro “Maquis e Arredores – Memória do Jornalismo que acompanhou a Luta de Libertação ”. Compartiram o tecto e a mesa a dado momento em Luanda. DIEL, nome abreviado e de fama no seio da classe, foi um dos autores dos artigos retomados naquela galeria. Aos alicerces da ANGOP, contribuiu na chefia da Redação Exterior. O apreço geral valeu-lhe a eleição como dirigente da União dos Jornalistas Angolanos (UJA), no único Congresso desta agremiação. Foi correspondente da ANGOP em Brazzaville, com raio abrangendo Kinshasa, nos anos ’80. Mais tarde, passou para a diplomacia, colocado no mesmo país, o Congo-Brazzaville. Sofria de crónica deficiência da coluna vertebral, que lhe tirou a vida, num hospital de Kinshasa. Diligências estão em curso para o repatriamento e o funeral no seu país, de acordo com a sua família.

Entrementes, a diplomacia angolana ostentou mais um condigno feito substantivo: a visita presidencial à Alemanha. Fértil de animadoras perpectivas económicas, a expectativa vai agora para a prova dos nove,a saber, a prática das mesmas. A missão, na conjuntura, assemlhou-se à apoteose simbólica do primeiro aniversário da eleição de João Lourenço a Presidente da República. Observadores aproveitaram a coincidência, aliás, para o balanço do mesmo no período. A rigor, deve-se aguardar para 27 de Setembro próximo, prazo exacto da tomada de posse de JLo. De se ponderar, a meio, outro importante marco, também: 8 de Setembro, em que se prevê consumar a subida do mesmo à presidência do MPLA, no Congresso convocado para este fim. Neste horizonte temporal, perfilam as convulsões tradicionais, cuja delicadeza aconselha cautela. Piscam intermitentes amarelos (indicadores de tensões) e vermelhos (choque ou divórcio). O mais badalado tem sido a troca de galhardetes acentuada entre JLo e Isabel dos Santos, a primogénita filha do ex-chefe de estado. Até onde irá? A ver vamos.

Na esteira da sua missão, a Igreja Católica consolou o cenário internacional. Nomeadamente, com a alta visibilidade da visita pontifical na Irlanda, palco de medonho fratricídio religioso outrora. No tempo recente, outras chagas morais antigas e ora reveladas na mídia, manchando um país reputado religioso. Mormente: abusos sexuais de menores por sacerdotes, descuidos de membros da hierarquia e demais escândalos. Dias 25 e 26 passados, a sua capital, Dublin, albergou o IX Encontro Mundial das Famílias, ocasionando a 24ª viagem Apostólica Internacional de Francisco. As fontes oficiais contabilizaram cinco discursos proferidos pelo Sumo Pontifice durante a estadia em várias circunstâncias. Ao seu estilo conhecido de enfrentar os temas quentes frontalmente! E deixou este seu traço profético, na santa missa que celebrou domingo, no ‘Phoenix Park’. Antecedendo a homilia nesta linha, mexeu a alma colectiva por um acto penitencial, de que citamos os seguintes extractos pedagógicos:

Ontem estive reunido com oito sobreviventes de abuso de poder, de consciência e sexual. Tomando o que eles me disseram, gostaria de colocar diante da misericórdia do Senhor estes crimes e pedir perdão por eles (…) Que o Senhor mantenha e aumente este estado de vergonha e compunção, e nos dê a força para comprometer-nos a trabalhar para que nunca mais isso aconteça e para que se faça justiça. Amém”.

VISÃO JORNALÍSTICA.

(Uma coprodução de Siona Casimiro e P. Maurício Camuto. Apresentação de Tomás de Melo).

Luanda, quinta-feira 30 de Agosto de 2018

 

 

Reuniram bwé. Um dos kotas até abandonou a conversa em protesto. No fim, os restantes pariram uma diatribe de denúncias contra um deles. Este foi condenado por “destratar instituições do Estado e desqualificar colegas de ofício, numa perspectiva que contraria as regras de boa conduta, sentido de responsabilidade e decoro no desempenho de cargos públicos.” Foi só o enxerto da notícia da ANGOP sobre a deliberação da Entidade de Regulação da Comunicação Social Angolana (ERCA). A augusta instância labutou no passado 29 de Agosto do corrente ano. Identidade do crucificado: Carlos Alberto, um recorrente. A ANGOP nem se deu a pena de referir a opinião do réu. O próprio expô-la aos microfones da Rádio de Confiança. Essencial da mesma: levar o caso ao tribunal pela carga de difamação por parte dos pares. Partilhou certa dose da indignação de Carlos, outro venerável da ERCA, Reginaldo Silva, por sinal, a cara do Sindicato dos Jornalistas Angolanos. Figura impoluta das promiscuidades partidárias, Reginaldo focou uma cena da famigerada “ditadura democrática”, que o enjoou. Em suma, o novo episódio confirmou o clima de cortar à faca, na instância de garantia retórica da democracia na comunicação social.

Na actualidade mundial, entrementes, a China retomou o cartaz. A sua capital, Pequim, acolheu, nos dias 3 e 4 da semana em curso, o III Fórum de Cooperação China-África (FOCAC). Como em ocasiões anteriores, estontearam cifrões. USD 60 mil milhões para o próximo triénio, anunciou o presidente anfitrião, Xi Jinping, aos 53 hóspedes, abrindo o baile. O envolvimento financeiro da China pula assim para o alucinante pico de USD 180 mil milhões. Ultrapassa, doravante, o Plano Marshall, cujo equivalente no presente seria de mais ou menos USD 145 mil milhões. Tendo vigorado de 1947 a 1951 em 18 países europeus, aquele plano logrou a milagrosa recuperação económica da II guerra mundial. Ambicionar a similitude no nosso recanto planetário? Porquê não? Nós, Angolanos, em particular, pela envergadura da parte deste maná que cai cá. Andaria doravante nos USD 31 mil milhões, segundo empíricas estimativas credíveis. E o novo presidente, João Lourenço, foi a Pequim, motivado, entre outros, para perfazer a citada cifra vertiginosa.

Mas, voltando destas alturas siderais, a nossa santa Igreja agraciou com dois relevantes acontecimentos: um coloquial e outro do calendário das efemérides. Sob o lema “Embora muitos, somos um só corpo em Cristo”, ocorreu o primeiro Simpósio Bíblico Internacional. Obra da Pastoral Bíblica da CEAST, o programa das reflexões decorreu no Centro de Conferências das Irmãs Paulinas em Luanda, de 31 de Agosto a 1 de Setembro de 2018.

No último fim-de-semana, aconteceu também a Peregrinação anual ao Santuário da Mama Muxima. Desta vez, teve por divisa sacra: “Jovens, com Maria, caminhemos hoje ao encontro de Cristo”. As contas eclesiais de frequência registaram mais de 820 mil fiéis, desdobrados em 705.954 mulheres, 113.414 homens. Destes 398 eram estrangeiros. Coube a honra de presidir a eucaristia no Santuário, o convidado Bispo de São Tome, Dom Manuel António Mendes dos Santos. Comoveu a alma dos peregrinos o remate final da sua fervorosa homilia de circunstância. Finalizando, citámo-lo: “Vós, jovens, não tenhais medo de dizer sim a Jesus Cristo. Não tenhais medo de ter Maria que nos leva até ao seu Filho, Jesus. Não tenhais medo de dizer sim à vida, de dizer sim ao amor, de dizer sim à justiça, de dizer sim à verdade. Com este vosso sim, encontrareis razão para a vossa existência”.

VISÃO JORNALÍSTICA

(Uma coprodução de Siona Casimiro e Padre Maurício Camuto. Apresentação de Tomás de Melo).

Luanda, 05 de Setembro de 2018

 

 

 

 A Diocese do Dundo, província da Lunda Norte, conta com três novos diáconos consagrados neste domingo em acto orientado pelo bispo da Igreja Católica, Dom Estanislau Marques Chindecasse.

Trata-se de Carlos Verdete Ribas Manuel, 40 anos de idade, natural do Lubango, José Muacahamba, 32 anos, e Pinto Silva Buio, 26 anos, ambos nascidos no Cambulo, Lunda Norte.

Na ocasião Dom Estanislau Marques Chindecasse afirmou que o diácono, fortalecido pelo Espírito Santo, tem a missão de auxiliar o bispo no seu presbitério (serviço da palavra), no altar e na caridade mostrando-se servo de todos.

Sublinhou que a sua missão específica é anunciar a palavra de Deus livre e soberana saída de um coração totalmente entregue ao Senhor.

Com ajuda de Deus, disse, o servo deve comportar-se de tal modo que sempre se reconheça nele um verdadeiro discípulo de Cristo, que não veio para ser servido, mas para servir.

“A graça do primeiro grau do Sacramento da Ordem (diaconato) apelida na vivência do celibato consagrado, permite que vos dediqueis à Deus e aos irmãos com especial alegria e uma constante e progressiva identificação com Cristo,” sublinhou.

Lembrou igualmente que a procura de honras e protagonismos, a busca do dinheiro para manter uma vida burguesa instalada numa área de conforto rompe a comunhão da comunidade cristã.

 

 A apresentação dos bebés vindos ao mundo por intercepção das bênçãos de Nossa Senhora de Nazaré, oferendas de várias espécies, marcou neste domingo, o encerramento das festividades do 345º aniversário da fundação da Paróquia e Santuário, com o mesmo nome, no distrito urbano da Ingombota, município de Luanda.

Igualmente, a emoção dos devotos, os cânticos do grupo coral principal da igreja aniversariante, de agradecimento a padroeira, acompanhado em uníssono por todos os féis dos grupos e movimentos religiosos, bem como pelos convidados, dominou o acto liturgico.

A semelhança do Santuário de Nossa Senhora da Muxima, na Quiçama, Icolo e Bengo, a igreja da Nazaré, é muito solicitada pelos católicos e demais religiosos, que procuram ultrapassar os seus constrangimentos do quotidiano por via da oração.

Segundo o pároco do templo, Elias Oliveira,, o seu espaço religioso tem pautado pela coerência da vida crista, procurando conferir a paróquia, aos peregrinos que frequentam a mesma o carácter monumental, histórico, que o lugar de recolhimento merece.

Manifestou a sua satisfação pela presença massiva dos cristãos, peregrinos, amigos e benfeitores, que acorreram a igreja, para enaltecerem e venerarem a padroeira.

As festividades do Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, que deu também lugar a novenas, decorreram sob o lema  “ Jovem quero estar em tua casa (Lucas 19,5) com Maria de Nazaré acolhamos Jesus em nossa vida “.

A igreja data do século XVII, fundada em 1664 e construída praticamente sobre as águas, por André Vidal de Negreiros, como forma de agradecer a Deus por ter aportado a costa angolana depois de longa e forte turbulência, numa viagem do Brasil para Angola.

Em acção de graças, o artífice da libertação do Brasil do jugo holandês e governador de Angola, André Vidal de Negreiros, mandou edificar a Igreja.

A Nazaré tem o seu interior decorado com azulejos, retratando milagres e histórias, como a batalha de Ambuila, o naufrágio e o milagre que motivou a construção do templo e as imagens de Nossa Senhora de Nazaré e Santa Ifigénia de Etiópia.

Desde 1922 que a igreja foi classificada como Monumento Histórico Nacional.

O pároco da Igreja de São José da Caponte, no Lobito  padre José Mombo, defendeu neste Domingo, a necessidade de maior respeito entre os cristãos de diferentes igrejas, a fim de se combater a intolerância religiosa nas comunidades.

No final da missa dominical, o pároco condenou aquilo a que chamou de “discriminação entre os próprios fiéis”. Por isso, insistiu na necessidade de mais respeito pelas crenças religiosas, já que todo o ser humano é filho de Deus.

“A discriminação religiosa não pode existir entre os cristãos, tanto da Igreja Católica, como das outras denominações”, acentuou, sublinhando que a palavra de Deus ajuda a libertar o ser humano de atitudes negativas como a intolerância religiosa.

Por outro lado, o prelado da Igreja Católica no Lobito pediu aos cidadãos que deixem para trás expressões do tipo “ angolano do Norte e do Sul”, porquanto, apenas fomentam sentimentos de divisão nas comunidades.

A missa deste domingo, cuja homília se baseou no Evangelho de São Tiago, ficou marcada pela comemoração do 25º aniversário da Associação de Professores da Paróquia de São José da Caponte.

Os cristãos católicos reunidos, no Uíge, durante a realização da semana diocesana da pastoral da família concluíram, ser imperioso o cultivo do diálogo, no seio das famílias, sendo elas uma escola doméstica.

A conclusão vem expressa no documento final, saído do encontro que  juntou 192 famílias,  decorrido de seis a nove  de Setembro,   sob o lema  “família, lugar de paz, reconciliação e edificação mútua “.

Os participantes que consideram importante o papel da família  na regulamentação da comunidade humana em geral e cristã, em particular,  concluíram  ser necessário que os cristãos estejam comprometidos com os  sacramentos e se mantenham  num estado de pureza , afastando deste modo  o mal.

O documento recomenda também , a extensão  de  capelas e centros  de evangelização nas comunidades suburbanas da diocese para contrapor o surgimento de  seitas religiosas com doutrinas falsas, assim como o empenho  dos cristãos para o aprofundamento da doutrina.

Tendo em conta que as seitas religiosas nascem de um  ambiente de crise, quer económica, cultural, social educativa e doutrinal, aproveitando a fragilidade das pessoas menos instruídas em matérias de fé, os caóticos baseam-se na analise feita  e  enaltecem  o papel dos meios de comunicação social como ferramentas de propagação do bem.

Já o Bispo do Uíge, Dom Emílio Sumbelelo, falando na cerimónia de encerramento da semana diocesana da pastoral da família, reafirmou a importância que se deve dar as pessoas idosas por serem transmissoras de valores para as novas gerações.

A semana diocesana da pastoral da família abordou durante os três dias, aspectos ligados a família e a proliferação das seitas religiosas, a fidelidade conjugal e a família, educação dos filhos e o uso das comunicações  sociais.

 

O pós-Kabila está aberto na vizinha RDC. O presidente Joseph Kabila encerrou o impasse da prolongação arbitrária do seu mandato, concluído a 31/12/2016. Teoricamente, pelo menos, pois a 8 de Agosto corrente, revelou o candidato do seu campo às eleições previstas para Dezembro próximo. O passo serenou o clima de uma crise de vulto já internacional. O alerta das forças vivas da própria RDC, onde pontificou a Igreja, ecoou intensamente na vizinhança, em África e no mundo. A posição geoestratégica do país e a correspondente carga desestabilizadora justificaram-no bastante. Será que o vendaval passou mesmo? Parece acertada esta resposta de figura do país: «A retirada de Kabila é uma vitória de etapa, mas importante. Tudo não está resolvido, mas o principal perigo, o maior, passou. Sobra, agora, controlar o resto”, opinou Isidore Ndaywel, membro do Comité de Leigos, ligado à Conferência Episcopal da RDC, CENCO.

Alegrou os Angolanos observar quanto, no suave desfecho, contribuiu a diplomacia do seu país. Uma diplomacia multilateral, que incorporou a estatal (amadurecida) e a eclesial (na penumbra). Convirá manter-se, esta envoltura preventiva, até ao termo dos cem primeiros dias do sucessor de Kabila.

Na atualidade nacional, sobressaiu a sessão do Conselho Permanente Alargado CEAST, realizada no meio da semana passada. A crise salarial da Rádio Eclesia foi a sua ementa de maior expectativa. Conforme a deliberação anunciada, a chata situação foi superada, com as recomendações operacionais, julgadas oportunas. A reunião preparou, ainda, a plenária de Novembro próximo. A 18 de Novembro, com efeito, acontecerá a apoteose da celebração dos cinquenta anos da CEAST. A acção de graça da efeméride terá a especial presença do Prefeito da Congregação para Evangelização dos Povos, Cardeal Fernando Filoni.

Mas de todas estas novidades, a mais luminosa foi o anúncio da nova cimeira Papa-CEAST ou “visita ad limina”. Adiantou-o, o porta-voz e vice-presidente da CEAST, Dom José Manuel Imbamba, Arcebispo de Saurimo. Esta tradicional peregrinação significa uma semana intensa de trabalho no Vaticano de todo o episcopado e está prevista para Junho de 2019. Oito anos, em suma, depois da última, que pôs frente-à-frente os nossos prelados com o Santo Padre, Papa Bento XVI, ora emérito. Quer dizer, será o primeiro encontro colectivo do género com o atual Papa Francisco. O que esperar da mesma? Para tal, uma breve retrospetiva sobre a última, de 2011. Naquela, a mensagem pontifical focalizou-se nos desafios das seitas, feitiçaria e tribalismo. A próxima fará com certeza o ponto da situação sobre os citados itens, além de outros que o tempo acarreta sempre. Nesta dinâmica, pode-se vaticinar a singularidade afirmada do apostolado do novo Papa, eivado de um acentuado assumir da profecia de “sal e luz”. E há o contexto do jubileu de ouro das conferências episcopais em África (SCEAM), que arrancou há pouco em Kampala, para durar um ano. A ida dos nossos Bispos à Santa Sé desta vez coincidirá com o culminar deste jubileu, assente no lema, saliente-se: ”Igreja-Família de Deus em África, Celebra o teu Jubileu! Proclama Jesus Cristo, teu Salvador”. O seu “Instrumentum Laboris” exortou à meditação do arrependimento e conversão, de que citamos, pela indicativa valia sintética, o seguinte tópico:

Tomar consciência de nossas faltas e negligências (de mentalidade e de acção) no reconhecimento e na valorização dos imensos recursos humanos e naturais de África em favor de nossos povos”.

VISÃO JORNALÍSTICA.

(Uma coprodução de Siona Casimiro e P. Maurício Camuto. Apresentação de Tomás de Melo).

Luanda, quinta-feira 16 de Agosto de 2018.

 

 

 

O arcebispo da Arquidiocese de Saurimo, Dom José Manuel Imbamba, apelou hoje, domingo, em Saurimo, (Lunda Sul), os jovens a abdicarem-se da violência sexual, roubos, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e em actos que em nada abonam a comunidade.

O prelado que falava durante a missa que visou a celebração do 43º aniversário da fundação da diocese de Saurimo, reforçou que os jovens são a força motriz do desenvolvimento da nação, mas para tal, devem saber ouvir os mais velhos e serem guiados através da palavra de Deus.

Sublinhou ainda que os jovens e não só, devem ainda evitar a calúnia, vícios de drogas, prostituição, violência sexual e doméstica, bem como o desgosto total na falta de empregos, mas procurar com serenidade apostar em actos que visam a socialização.

Segundo Dom José Imbamba, o país e o mundo em geral, debate-se com problemas da falta de amor, alimentação, carisma, tudo fruto do egocentrismo de alguns que se apropriam dos bens que Deus colocou à disposição de todos.

Avançou que é pretensão da Diocese de Saurimo estender o evangelho e paróquias nas comunas e aldeias, com vista a levar a mensagem de Deus nas comunidades e resgatar mais almas.

Para o sucesso desta empreitada, disse, urge a necessidade da conjugação dos esforços de todos os fiéis, para tirar muitas almas do obscurantismo da fé.

“Só desta forma teremos uma sociedade mais justa e recheado de virtudes, rumo ao desenvolvimento do país”, enfatizou.

A eucarestia foi assistida pelo governador em exercício da província, Evanerson Kaputu, membros do governo, autoridades tradicionais, fiéis do leste do país e pela comunidade cristã.

 

Trezentos e Cinquenta fiéis da Igreja Católica, afectos as paróquias de Nossa Senhor de Fátima e da Sé Catedral, foram neste domingo, baptizados e crismados, durante uma missa que marcou o encerramento da semana arquidiocese das santas missões.

Os sacramentos foram orientados pelo Arcebispo metropolita de Malanje, Dom Benedito Roberto e inseriu-se também nas celebrações do 128º aniversário da Sé Catedral de Malanje, que hoje (19 de Agosto), se assinala, visando cumprir com os pressupostos da doutrina católica que simboliza o compromisso pela fé de Deus.

Na ocasião, Dom Benedito Roberto disse ser necessário que os fiéis católicos e não só acreditem na palavra de Deus, pois Ele é o único salvador da humanidade, pelo que urge estarem mais envolvidos na missão de Cristo e da igreja para melhor servir e levar com determinação e caridade as escrituras bíblicas.

Aos crentes ora baptizados e crismados, apelou para a continuidade na fé e na formação da catequese para chegarem aos sacramentos que faltam por atingir como a ordem e o casamento.

“Os crentes não devem separar aquilo que Deus uniu”, enfatizou, realçando que o baptismo é o sacramento através do qual o sacrifício pastoral de Jesus Cristo se aplica às almas, tornando membros da igreja e abrindo assim o caminho da salvação eterna.

Quanto ao crisma, disse, é um sacramento que permite o aumento da fé crista, inteligência bem como a piedade para viver no amor verdadeiro de Deus, o que se deve ter em conta, fazendo jus que a palavra divina ensina que o coração do homem nunca pode negar Deus.

Estiveram presentes na missa, membros do governo da província e mais de dois mil fiéis católicos vindos de todas as paróquias católicas da província de Malanje.

O bispo da diocese de Mbanza Congo, Dom Vicente Kiaziku, solicitou domingo, em Massangano, município de Cambambe, Cuanza Norte, o envolvimento dos cristãos no combate à corrupção no país.

Dom Vicente Kiaziku fez esse pedido durante na missa de encerramento da peregrinação anual ao santuário da Nossa Senhora das Vitórias de Massangano, que decorreu durante três dias.

Sem avançar as formas como combater tal fenómeno, o prelado católico referiu que os cristãos, por constituírem a maioria da população, devem estar na primeira linha no combate a corrupção, evitando pactuar com práticas desonestas e contrarias aos princípios de Deus.

Para si, a corrupção é pecado aos olhos de Deus e, portanto deve ser combatido pelos seguidores de Cristo.

Apelou ainda aos fiéis a pautarem pela honestidade e ao amor fraterno.

“A Igreja está envolvida com a consciencialização do amor ao próximo em várias dimensões como a espiritual e a mudança de comportamentos, pelo que o cristão deve dar o melhor exemplo para toda a sociedade”, finalizou.

Exortou, por outro lado, os fiéis a encararem os santuários como lugar de oração de confiança, onde simplesmente se pede o bem e, não um lugar para pedidos de desgraças para alguém mais, sim  a conversão das pessoas.

Perto de 10 mil fiéis católicos oriundos de vários pontos de Angola participaram na peregrinação anual ao Santuário de Nossa Senhora das Vitórias, em Massangano.

Momento de oração, debate de temas litúrgicos, procissão de velas e adoração marcaram o evento religioso decorrido sob o signo “Com nossa senhora das vitórias, cultivemos o estilo de escuta, a coragem da fé, a beleza do discernimento e da dedicação ao serviço”.

O Apostolado Nas Redes Sociais

Twitter O ApostoladoFacebook Jornal O Apostolado

Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria


Apostolado Divisoria